Canário-da-terra

Serinus canaria

Outros nomes: canário

O canário-da-terra, espécie que apenas pode ser encontrada, em estado selvagem, nos arquipélagos das Canárias, Madeira e Açores é uma ave comum e bastante familiar entre as gentes açorianas, tendo estado no passado na origem das raças domésticas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Identificação

É um pouco mais pequeno que um pardal, tendo também um aspecto mais ligeiro. A sua plumagem é acinzentada e castanha-clara nas partes superiores e laterais, apresentando riscas no dorso e flancos, sempre com algum amarelo misturado. A garganta, peito e abdómen são amarelos. O bico é curto, grosso e de cor rósea. As patas são castanhas-rosadas e tem uma característica cauda chanfrada. As fêmeas, semelhantes aos machos, apresentam contudo uma plumagem menos colorida.

Canto

Chamamento

Chamamento em voo

Abundância e calendário

Residente. Ocorre em todo o arquipélago, podendo ser localmente muito abundante. Mostrando uma certa preferência por zonas agrícolas e de pastagens, ocorre também em zonas costeiras com pouca vegetação e em algumas zonas florestais, entremeadas por pastagens, podendo ocupar mesmo habitats até aos 2000 metros de altitude (Montanha do Pico).

Onde observar

Em todas as ilhas do arquipélago, desde o nível do Mar até às cotas mais altas, tanto em pastagens como em zonas florestais. O Aeroporto de Santa Maria e zona envolvente; Sete Cidades, Lagoa das Furnas e Covoada (São Miguel); Cabo da Praia, Paul do Belo Jardim, Lagoa do Junco, Lagoa do Negro, Pico da Bagacina e Ponta das Contendas (Terceira); Baía de Porto Pim, Pedro Miguel, Feteira, Castelo Branco (Faial); Lagoa do Capitão, Costa Oeste da Madalena, Ponta da Ilha, Montanha (Pico); Ponta dos Rosais, Parque Florestal das Sete Fontes, Fajã dos Cubres, São Tomé e Topo (São Jorge), são alguns bons locais onde observar esta espécie.

Anúncios