Costa Sul

A costa sul da ilha do Faial dispõe de um conjunto de bons spots para observação de aves, tais como a cagarr0, o garajau, as garças e as limícolas, observadas nas zonas de costa rochosa baixa. As zonas de arribas, que apresentam muitos tuneis e cavidades, são utilizadas para pernoita pelos pombos-das-rochas e pelos estorninhos.

Porto da Feteira (Foto: André Vieira)

Porto da Feteira (Foto: Bruno Pereira)

Especialidades: codorniz, cagarro, garça-branca-pequena, garça-real, rola-do-mar, maçarico-galego, borrelho-grande-de-coleira, pilrito-das-praias, pilrito-de-peito-preto, tarambola-cinzenta, garajau, garajau-rosado, estorninho.

Outras espécies: milhafre, gaivota-de-patas-amarelas, guincho-comum, borrelho-de-coleira-interrompida, pombo-torcaz, pombo-das-rochas, lavandeira, vinagreira, toutinegra, canário-da-terra, pintassilgo, pardal.

Raridades: carraceiro, mergulhão-caçador, tarambola-dourada-americana, maçarico-galego-americano, maçarico-pintado, fuselo, perna-verde, moleiro-pequeno.

Visita: Percorrendo de oeste para leste, inicia-se a visita no Porto da Feteira, que para além de uma rampa, dispõe de uma pequena praia represada. Neste local são habituais as pequenas limícolas, tais como a rola do mar e o borrelho-grande-de-coleira, ou ainda a garça- branca-pequena. As raridades já aqui avistadas incluem o maçarico-pintado ou o mergulhão-caçador.
Andando cerca de 400 metros para leste, ao longo da estrada regional, e com o mar sempre à direita, chega-se à Poça da Rainha, uma plataforma rochosa utilizada por limícolas para alimentação, tais como as rolas do mar e os maçaricos-galegos. Aqui é possível observar igualmente a garça-real ou a garça-branca-pequena, ou ainda a tarambola-cinzenta, ou raridades como o fuselo, o perna-verde e o combatente.

Poça da Rainha (Foto: André Vieira)

Poça da Rainha (Foto: Bruno Pereira)

Continuando para leste, passa-se numa outra zona de costa baixa rochosa, a Lajinha. Aqui encontra-se uma zona de dormitório de maçaricos-galegos e rolas do mar, cujas contagens já ultrapassaram os 25 indivíduos de cada espécie. Nos campos do lado esquerdo da estrada, é frequente ouvir a codorniz.

Lajinha (Foto: André Vieira)

Lajinha (Foto: André Vieira)

Por fim, e antes de chegar à Baía de Porto Pim, junto à antiga fábrica de peixe da Cofaco, encontra-se o Porto do Pasteleiro, onde se podem observar pequenas limícolas ou a garça-branca-pequena.

Melhor época: todo o ano, com menor variedade no Verão.

Concelho: Horta.

Aqui perto: Baía de Porto Pim.

Anúncios