Escrevedeira-das-neves

Plectrophenax nivalis

A escrevedeira-das-neves, embora desconhecida da população em geral, é um dos raros passeriformes migradores, considerados  de ocorrência regular,  a visitar o arquipélago dos Açores.

Identificação

A fêmea e as aves jovens, morfologicamente, assemelham-se a um pardal, sendo no entanto ligeiramente maiores e tendo uma plumagem mais clara do que este (atenção porém às aves leucísticas). Existem ainda outras diferenças, óbvias, como a cor do bico (mais clara) e das patas (escuras), que a diferenciam de imediato. Os machos adultos identificam-se facilmente pela dominância de branco na sua plumagem, sobretudo no Verão, apresentando então toda a plumagem, da cabeça até ao ventre, de um branco-neve, com um manto cinzento escuro e uma conspícua banda branca nas asas, detalhe que é muito visível com as aves em voo, em contraste com as penas escuras das primárias e das rectrizes centrais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Abundância e calendário

Espécie de origem holártica. Invernante. Geralmente, presente desde o início de Outubro até ao início de Abril. No entanto são conhecidas observações durante os meses de Maio e Junho. É considerada uma migradora regular, não estando os seus registos sujeitos a homologação pelo Comité Português de Raridades.

Onde observar

Existem observações desta espécie em todas as ilhas do arquipélago, por vezes de algumas dezenas de aves. De um modo geral procuram as zonas mais altas, acima dos 800 metros de altitude, embora se conheçam registos de aves em cotas mais baixas, até ao nível do Mar.

Flores: Caldeira Branca, Lagoa Seca, Ponta Delgada

Corvo: Caldeirão

Faial: Caldeira, Serra da Feteira

São Jorge: zona do Pico da Esperança, pastagens altas, acima de São Tomé

Pico: Montanha do Pico (zona de baldios e à volta da Casa da Montanha, assim como durante a ascensão ao topo da montanha), Lagoa do Peixinho

Graciosa: Serra Branca

Terceira: Cabo da Praia, Serra do Cume, Serra de Santa Bárbara

São Miguel: Serra Devassa, Serra da Tronqueira/Pico Bartolomeu, Planalto dos Graminhais (provavelmente o melhor local do arquipélago para encontrar esta espécie, sendo conhecidas observações regulares que ultrapassam as duas dezenas de indivíduos)

Santa Maria: Aeroporto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s