Costa Oeste da Madalena

A zona da Costa Oeste da Madalena marca a fronteira entre as ilhas do Pico e Faial, sendo caracterizada por extensos campos de lava e vinhas. Toda esta área é protegida no âmbito da Paisagem Protegida da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, com excepção do centro da vila da Madalena. Esta zona estende-se desde o Cais do Mourato (o ponto mais a norte da ilha) até ao Porto do Calhau (costa oeste, a sul da Madalena).

Rampa do portinho do Cais Mourato

Aqui poderão encontrar-se diversos habitats dispersos, sendo a paisagem dominante os campos de lava com espécies de flora muito dispersa (Juncus acutus, Spergularia azorica e Euphorbia azorica), depósitos de areia com pequenas lagoas e vários portinhos. De salientar a zona da Barca: local que oferece grande diversidade de habitats, como uma zona de pequenas lagoas, uma piscina natural e um portinho; e o porto da Areia Larga: local composto por dois pequenos pontões, onde facilmente se avistam várias espécies de limícolas.

Porto da Areia Larga

Esta é uma zona que poderá oferecer boas surpresas em termos de raridades. Apesar de não ter grandes sistemas lagunares ou vastas áreas de águas pouco profundas, como no caso das Lajes do Pico, os vários portinhos fornecem uma apetecível zona de alimentação para as pequenas limícolas, gaivotas e garças.

Já a zona do Cabeço do Pé do Monte, junto ao Pocinho, oferece um excelente ponto de observação de passeriformes, columbiformes e rapinas, valendo a pena seguir pelo caminho de terra batida que sobe quase até ao topo do cabeço, oferecendo um ponto de excelência para a observação da ferfolha, bem como uma fascinante vista para o Pocinho, lugar do Monte e Montanha do Pico.

Cabeço do Pé do Monte

Especialidades: cagarro,garça-real, garça-branca-pequena, milhafre, maçarico-galego, rola-do-mar, pilrito-das-praias, gaivota-de-patas-amarelas, pombo-das-rochas, pombo-torcaz dos Açores, perdiz-vermelha, ferfolha, canário-da-terra e tentilhão dos Açores.

Outras espécies: tarambola-cinzenta, seixoeira, pilrito-de-peito-preto, pilrito-pequeno,  garajau, melro, lavandeira, vinagreira, estorninho dos Açores, pintassilgo, pardal, tentilhão dos Açores, escrevedeira-das-neves.

Raridades: peneireiro-de-dorso-malhado, falcão-de-pés-vermelhos,garça-branca-grande-americana, borrelho-semipalmado, pilrito-rasteirinho, pilrito-escuro, maçarico-pintado, maçarico-das-rochas, gaivotão-branco, fuselo, torda-miúda, andorinha-das-chaminés.

Visita: seguindo para noroeste, a partir do centro da Madalena, deve-se tomar a estrada para a Areia Larga, virando à direita junto à Escola Profissional do Pico. Mesmo à entrada encontrará um pequeno parque com baloiços e campo de volei de praia, onde vale a pena parar e descer ao portinho da Areia Funda. Durante o inverno é frequente encontrar por lá diversas limícolas, como o maçarico-galego, a garça-branca-pequena e a garça-real. Continuando na mesma estrada chegará ao lugar da Areia larga, onde os dois pequenos pontões do porto oferecem uma variedade surpreendente de limícolas, algumas delas raras, sendo o melhor spot desta zona para as observar. Aqui convém também seguir pelo caminho de terra batida que passa pelas traseiras da fábrica de conservas Cofaco, onde os pequenos prados costeiros lá existentes poderão conter passeriformes, como o canário-da-terra ou a escrevedeira-das-neves e limícolas, como a seixoeira e o fuselo.

Em seguida chegará ao Lajido da Criação Velha, seguindo pela estrada costeira com a placa de indicação “Laje das Rosas”. Aí existe uma série de depósitos de areia branca com algumas pequenas lagoas, onde se alimentam as rolas-do-mar, as tarambolas-cinzentas, garças e outras limícolas.

O ponto de visita seguinte é o cabeço do Pé do Monte, onde encontrará uma série de pequenos pastos e vinhas, intercalados por pequenos bosques onde os passeriformes são abundantes. Do lado norte do cabeço é fácil observar pombo-trocaz ou o milhafre, enquanto que, chegando ao Pocinho e entrando pelo acesso ao parque de merendas, terá acesso à falésia costeira da face oeste, onde os pombos-das-rochas são abundantes. Quer neste portinho do Pocinho, quer no porto do Calhau poderá encontrar algumas espécies de aves marinhas, tendo já sido observadas tordas-miúdas no primeiro.

Se seguir para nordeste, em direcção a São Roque, a partir da Madalena, poderá avistar algumas limícolas e gaivotas no porto da Madalena. De seguida chegará ao lugar da Barca, um local de paragem obrigatória para a observação de limícolas, garças e gaivotas. Aqui deverá ter atenção ao portinho da Barca e à zona a este da piscina natural.

Barca – Zona a este da piscina natural

Seguindo em frente chegará ao portinho da Formosinha e, pelo caminho, com sorte, poderá avistar alguma perdiz-vermelha. A última paragem é o Cais do Mourato, onde deverá ter atenção à rampa do portinho, piscina natural e zona adjacente.

Melhor época: Setembro a Março.

Ilha: Pico

Concelho: Madalena

Aqui perto: Montanha do Pico, Ilhéus da Furna.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s