Fajã Grande

A Fajã Grande é uma enorme fajã detrítica, formada pela acumulação de materiais resultantes do desmoronamento das falésias sobranceiras, que nalgumas zonas excedem os 600m de altitude, com cascatas a escorrer pelas escarpas, formando um cenário deslumbrante.

A Fajã Grande dispõe de vários habitats, destacando-se lagoas, ribeiras, matas, zonas costeiras e pequenas pastagens/campos agrícolas. Esta grande variedade de habitats permite a observação de um interessante leque de aves residentes e migradoras.

????????????????????????????????????

Poço da Ribeira do Ferreiro, Alagoinha ou Lagoa dos Patos (Foto: André Vieira)

Especialidades: cagarro, garça-real, galinha-d’água, rola-do-mar, maçarico-galego, galinhola, garajau, garajau-rosado, pombo-torcaz

Outras espécies: gaivota-de-patas-amarelas, alvéola-cinzenta, melro, estorninho, toutinegra, canário, tentilhão, pintassilgo

Raridades: pato-trombeteiro, caturro, negrelho, negrelho-americano, garça-branca-grande, garça-branca-americana, mergulhão-caçador, galeirão-americano, borrelho-semipalmado, pilrito-rasteirinho, maçarico-pintado, pilrito-de-colete, felosinha-comum, triste-pia

Visita: Através de um percurso pedonal de cerca de 800m, chega-se ao Poço da Ribeira do Ferreiro, também chamada de Lagoa dos Patos ou Alagoinha, local de beleza magnífica, com inúmeras cascatas a alimentar uma lagoa, utilizada por patos, tais como os caturros e também por garças. Este é igualmente o local onde se pode observar a residente galinha d’água. Nas matas de acesso à lagoa, poderão ser observadas a galinhola e passeriformes residentes, existindo sempre a possibilidade de observação de passeriformes migradores de ocorrência rara, como a felosinha.

A zona costeira da freguesia da Fajã Grande é composta por poças de maré, piscinas naturais e um pequeno porto, usados por limícolas, sendo a rola do mar e o maçarico galego os mais frequentes, e ainda por garças no inverno, e pelos garajaus no verão. A lista de espécies costeiras raras é bastante interessante. Os campos agrícolas e as matas envolventes poderão igualmente reservar alguma surpresa, incluindo o pombo torcaz ou a codorniz, que são bastante raros na ilha das Flores.

Para terminar a visita à Fajã Grande, aconselha-se aos mais experientes, a deslocação até à Ponta da Fajã, local onde já se observaram diversas espécies de passeriformes americanos.

Melhor época: todo o ano excepto Verão

Concelho: Lajes das Flores

Aqui perto: Lagoas e Planalto Central, Santa Cruz das Flores

Anúncios