Pombo-torcaz dos Açores

Columba palumbus azorica

Bastante conhecido das gentes da Terceira e do Pico, não só devido ao seu elevado número, mas também pelos estragos que faz em algumas culturas hortícolas, é no entanto uma espécie importante, historicamente, na transmissão e colonização da floresta laurissilva dos Açores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Identificação

Um pouco maior que um pombo-das-rochas, distingue-se deste com relativa facilidade pela mancha branca grande no pescoço, barras brancas transversais nas asas e por ter uma cauda quadrada e mais comprida (detalhes facilmente visíveis em voo). O tom da sua plumagem nas partes superiores é essencialmente cinzento, sendo a garganta e o abdómen cinzentos com um peito rosa-arroxeado. O bico, curto e fino, é avermelhado. As patas são curtas e vermelhas.

Abundância e calendário

Residente. Trata-se duma subespécie endémica açoriana. Ocorre em todo o arquipélago, embora seja raro no Grupo Ocidental, onde deve ter chegado em data recente (não são conhecidos registos antigos). É mais abundante no Grupo Central, sobretudo no Pico e na Terceira, onde por vezes pode ser observado em bandos numerosos a alimentar-se em pastagens e campos agrícolas (terrenos cultivados, terrenos lavrados, etc.).

Onde observar

  • Corvo: Raro.
  • Flores: Raro. Existem algumas observações perto da Fajã Grande.
  • Faial: Zona circundante ao aeroporto da Horta, Feteira, Castelo Branco, Baía de Porto Pim.
  • São Jorge: De um modo geral é possível observar um pouco por toda a ilha, sendo que o trajecto que liga Velas ao farol da Ponta dos Rosais pode ser uma boa opção para quem queira observar esta espécie.
  • Pico: Um pouco por toda a ilha, sendo mais comum a baixa e média altitude. A zona da Piedade, as imediações do aeroporto, a Costa Oeste da Madalena e a zona da Criação Velha são alguns dos locais onde a observação desta espécie é mais segura.
  • Graciosa: Pode ser observado em vários locais desta ilha, sendo o Parque Florestal de Recreio da Caldeira um dos locais onde a espécie é avistada com regularidade.
  • Terceira: Muito abundante. Pode afirmar-se, com propriedade, que é possível observar-se em qualquer local da ilha, no entanto são apostas seguras locais como: Paul da Praia, Paul do Belo Jardim, Cabo da Praia, Lagoa do Junco, Lagoa do Ginjal, Caldeira de Guilherme Moniz, ou Fajã da Serreta.
  • São Miguel: Nas Grotas Fundas (Nordeste) e um pouco por toda a Serra da Tronqueira; Lagoa do Fogo; Lagoa das Furnas; Jardim José do Canto e Jardim António Borges (Ponta Delgada).
  • Santa Maria: as imediações do aeroporto e de Santo Espírito assim como a Reserva Florestal da Mata do Alto e a zona do Pico Alto.
Anúncios